domingo, 30 de agosto de 2009

O velório

Era uma vez o médico Cardiologista. Ele moreu. Muita pompa e circunstância no velório. Muita gente chorando. Muitos médicos amigos e colegas de trabalho. Muitas pessoas que haviam sido operadas pelo Cardiologista e hoje vivem com um novo coração, ou então com o próprio coração consertado.

Na cabeceira do caixão havia um enorme coração de flores de todas as cores, que podia ser visto logo da entrada do salão, tamanho era o objeto, que parecia flutuar acima do defunto.

No cortejo fúnebre, uma multidão, afinal era um dos mais famosos - senão o mais famoso - cardiologista do país. Ele era o Cardioliogista. O enorme coração seguia na frente.

O túmulo, também majestoso e grandioso, como a fama do novo morador, tinha uma porta gigantesca em formato coração. Quando chegou o caixão, o coração se abriu devagar magestosamente. O defunto foi colocado lá dentro e o coração, também devagar e majestosamente, se fechou logo depois.

Ali perto, alternando choros e risos, estavam dois dos melhores médicos do país e também melhores amigos do Cardiologista: o Proctologista e o Ginecologista.

Choros pela morte do amigo. Risos por estarem imaginando, ao mesmo tempo, como seria o velório, a coroa de flores e o túmulo de cada um deles.

8 comentários:

Juh Mazaro disse...

Vou te falar que essa conseguiu ser pior do que a da Cinderela viu Dan
akaoapaoak

TyZ disse...

E eu tava levando a sério até antes da última frase hauahauahauhuahauahauah!

Danilo disse...

Legal Tyz... então, atingi meu objetivo. RSRSRSRSRSRS

Aline disse...

vc é uma figura mesmo...............
............rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

bjokas!!!!

Thalita disse...

Timããããõ
Vira pra cima do Santos!!!

kkkkkkkkkkkkkk

Feliz aniversário Corinthians.

Danilo disse...

Thalita: ha ha ha! Eu já tinha até esquecido!

Aline: Brigado rsrs

Reinaldo C. Zanardi disse...

Danilo...
Muito boa crônica.
Conhecendo você, sabia que o final não ia prestar.
Hahahaha

Danilo disse...

Reinaldo, se o final prestar, não tem graça... rsrsrs

Mas aposto que você bem que imaginou os velórios, né não?