quarta-feira, 12 de agosto de 2009

A mulher que escreveu a Bíblia


A dica de hoje é de um livro do gaúcho Moacyr Scliar. E é fascinante.

"A mulher que escreveu a Bíblia" se baseia na teoria de um estudioso norte-americano chamado Harold Bloom de que a primeira versão da Bíblia teria sido escrita por uma mulher.

A partir disso Scliar escreve uma narrativa que mistura a própria imaginação e fatos narrados na Bíblia, em um texto que flui de uma maneira incrível.

A história começa quando uma mulher, ajudada por um terapeuta de vidas passadas, descobre que no século X antes de Cristo foi uma das 700 esposas do rei Salomão. Porém, a mais feia (uma parte muito legal é quando ela descreve a própria feiúra. A riqueza de detalhes é tanta que dá até medo... ela é medonha). Antes disso, na aldeia em que o pai era o chefe, a única amiga da feia é uma pedra. Leia e entenda o porquê.

Mas o rei descobre que ela é a única que sabe ler e escrever e dá a ela a missão de escrever um livro que conte a história do povo de Israel. "A mulher que escreveu a Bíblia", portanto, é como se fosse os bastidores da Bíblia. Uma resposta para "Quem escreveu a Bíblia?", "Em que circuntâncias ela foi escrita?", "Quando ela foi escrita?". E as respostas são surpreendentes!

É claro que a feia (cujo nome não é citado) tem seus desejos. Prometida em casamento ao rei, ela queria que a vez dela chegasse. Ela se mostra uma mulher à frente do seu tempo: organiza rebeliões, exige seus direitos, mas também quer ser desposada, o que nunca consegue. Até quase consegue, quando arma um protesto e obriga o rei a fazer amor com ela, mas na hora... bom, só lendo o livro mesmo.

Outra coisa bem legal é que o autor mistura linguagens. Ao mesmo tempo em que a feia (o livro é em primeira pessoa) narra o texto com belas frases, palavras como "foda", "grelo", "trepada", "puta" e muitas outras de baixo calão, vão aparecendo. O autor reinventa fatos bíblicos. A feia se mostra mais sábia que o rei mais sábio.

Ah, eu não costumo ler prefácios. Não gosto. Mas o deste livro é importante ler para entender o resto. O início é muito engraçado. O meio é envolvente. O final é surpreendente e encantador.

Leia um trecho: "...porque havia um conflito naquele rosto, a boca destoando do nariz, as orelhas destoando entre si. E os olhos, que poderiam salvar tudo, eram estrábicos, um deles mirando, desconsolado, o espelho, o outro com o olhar perdido, fitando desamparado o infinito, talvez para não ter de enxergar a cruel imagem."

No fim, o leitor percebe que, apesar de feia, não era tão feia assim.

2 comentários:

Dueldy disse...

O livro parece muito bom. vou por na minha lista!

Regianysantos disse...

Eu disse que era BOM!!!!!