sexta-feira, 28 de agosto de 2009

A cartinha para o Papai Noel


Na minha "caixa de lembranças" há um objeto que eu guardo com muito carinho. É uma cartinha que uma criança mandou para o Papai Noel no natal de 2007, há dois anos. As crianças mandam cartinhas pelo correio na esperança de receberem um presente de natal.

Quando cheguei ao correio para adotar uma cartinha, a gerente me deixou escolher e alguns amigos meus e eu resolvemos pegar esta daqui:



Enquanto muitas cartinhas pediam video-game, brinquedos escabrosos, outras, como essa, pediam simplesmente algo essencial: comida e material de escola. Coisas que deveriam ser de direito de qualquer pessoa.

Um detalhe interessante é que, no começo, a criança fala direto com o próprio Papai Noel, mas depois ele escreve assim: "se VOCÊS não dava cesta de comida". O "vocês" é porque ele sabe que o Papai Noel, de barba branca, do polo norte, das renas, da roupa vermelha, não existe. Ele quer apenas acreditar que existem pessoas que podem ajudar.

Depois disso tudo, fui investigar e acabei descobrindo sobre a vida dele. Era um menino que, por coincidência, pegava o mesmo ônibus que eu para ir a Londrina. Eu ia trabalhar, ele também. A mãe dele é deficiente auditiva e vende chaveirinhos, canetas e adesivos no terminal rodoviário. E o menino ajuda.

Comecei a conversar com o garoto e algum tempo depois acabamos entrando no assunto do natal. Ele disse que escreveu uma cartinha para o Papai Noel e que havia recebido uma cesta básica e todo o material escolar que pediu.

Disse também que queria saber quem entregou e eu falei: "Ah, deve ter sido o Papai Noel, não foi para ele que você pediu?" Ele respondeu que sabe que as pessoas pegam a cartinha e dão presente. Eu desmenti, é claro.

Não que eu quero que ele acredite em Papai Noel. Nem sei no que ele acredita ou não. Porque quem mais aprendeu nesta história fui eu. Tão perto de mim tanta gente passa necessidade e a gente nem vê.

É por isso que eu guardo com carinho esta cartinha. Porque a criança que a escreveu representa uma parcela bem grande de um povo excluído. De um povo que pede comida para o Papai Noel.

E tomara que o menino que a escreveu possa ter um mínimo de dignidade para que o Papai Noel possa um dia dar a ele um brinquedo e não um prato de arroz e feijão.

5 comentários:

TyZ disse...

Essa é a coisa mais linda que já li em muito tempo T.T

Danilo disse...

Quando eu li a cartinha, confesso que ficou com água nos olhos.

Mas vc diz que a postagem tá linda ou a cartinha? rsrsrs

Acredito que seja a cartinha

gustavo disse...

oun, adoro essas ligações.

poucas são as vezes em que alguém, por menor que seja (em consideração ou tamanho mesmo) nos surpreendem nessa vida. é algo a ser admirado!

sei lá, tenho nem mais o que descrever... é bonito *.*

TyZ disse...

A postagem inteira, Danilo! Incluindo a cartinha =D

Reinaldo C. Zanardi disse...

Papai Noel existe sim.
Até hoje eu acredito nele.