domingo, 21 de fevereiro de 2010

Iemanjá, a Ladra do Mar

Eu sou muito azarado com acessórios. Colares já tive diversos, talves centenas deles. De bijuteria, desses de sementes, de côco, de tudo quando é tipo. Já tive pulseiras, tornozeleiras e gargantilhas. Relógios e óculos então, já perdi as contas de quantos tive. Sempre perco, empresto, quebro, encho de água, estrago. Enfim, acessórios e eu são duas palavras que não se conjugam.

E quando há uma ajudinha divina, é pior ainda.

Saí da casa onde estava alojado, em Balneário Camboriú (SC), na semana passada. Passei na esquina, comprei um óculos. Coloquei o acessório e saí correndo para a praia, que fica há uns 50 metros dali. Como uma criança feliz, pulei na água e dei aquele mergulhão. Resultado: perdi mais um acessório. Não vou mentir que, apesar dos sete quilômetros de praia, procurei bastante.

Foi quando o Dorival disse pra mim que a causa disso tudo poderia ser a ira de Iemanjá. E eu, claro, aceitei na hora. Muito mais fácil colocar a culpa na coitada do que admitir que é uma tremenda burrice dar um mergulho de óculos numa praia lotada. A partir daí, comecei crer que Iemanjá realmente tem a ver com isso.

O próprio Dorival, um dia antes, perdeu dez reais no mar, mergulhando com grana no bolso. Quase na mesma hora, achei dois reais boiando. Talvez Iemanjá tenha comprado umas duas águas de côco e devolveu o troco. Depois, pegou meu óculos e não devolveu. Ou seja: pegou dez reais de um, deu dois reais pra outro, roubou um óculos (de dez reais) de outro. Resultado: Iemanajá está devendo dezoito reais pra gente. Fora as peripécias que a tal Rainha do Mar deve ter aprontado com mais gente.

Mas por que ela faria isso? Já não bastam as oferendas que a bonitinha recebe dos fiéis? Deixa ela encontrar Poseidon na frente pra ela ver o que é bom!

Os óculos, eu tenho certeza que estão bem ali atrás

Mas, resumindoo, o fato é que ainda tenho esperanças de encontrar meus óculos. Não, não voltarei ao lugar do roubo e nem espero que ela me mande por Sedex.

Marquei uma entrevista com ela pra esclarecer alguns fatos. Quem sabe ela me convence de que não foi ela que levou o dinheiro, os óculos e devolveu o troco. Ou então, se foi ela mesma, me explique o porquê.

A entrevista com Iemanjá, a Ladra do Mar, você confere aqui mesmo no blog, na semana que vem.

Um comentário:

TyZ disse...

Amigo, não brinca com isso...
Embora a única coisa em que penso no momento é...

Que água de côco mais cara kkkkkkkkkkk