domingo, 18 de julho de 2010

A coisa que eu mais gosto de fazer

A coisa que eu mais gosto de fazer é jogar futebol. Pode ser na rua, na quadra, no campo (com grama ou sem grama), tanto faz.

Nas segundas e quartas de tardezinha jogo com meus amigos no campo do Ridioni. Na quarta a noite jogamos no campo do Val. Nas terças e quintas à noite jogamos na quadra municipal. Na sexta a noite jogamos no bola Brasil. Só não jogo na sexta a tarde por causa da catequese. No sábado a tarde tem o time do Baixinho (nesse pagamos mensalidade e entramos em campeonato). No domingo de manhã é jogo no Ridioni de novo. Isso quando, eventualmente, não tem jogo no sábado de manhã.

Domingo passado estávamos jogando nosso futebol sagrado de domingo de manhã num campinho aqui perto. E o Ridioni, que é o cara que toma conta do campo, era o zagueiro do time adversário. De repente ele subiu para cabecear uma bola e caiu em cima do braço.

Quebrou.

Mas o Ridioni, que é mais fanático que eu por futebol, rogou uma praga daquelas "se eu não posso jogar, ninguém joga". E a praga pegou.

Faz uma semana que chove sem parar.

Na sexta-feira eu já estava muito estressado porque fazia cinco dias que não dava pra jogar futebol por causa da chuva que detonou o campinho. Meu coração estava aflito. Tudo me irritava. Acho que é tipo uma droga, sei lá. Fui lá, entrei no campo, fiz uma reza.

E não é que deu certo!

Já faz dois dias que não chove. Joguei ontem no time do Baixinho e hoje, quando saí da missa de manhã lá estavam o Guilherme e o João Luiz na porta de casa me chamando pra jogar num mini torneio lá no campinho do Pombal. Topei na hora. Passamos na casa do Ramon (que é tão fominha quanto eu, mas muito mais habilidoso), que estava dormindo, mas foi também.

Esperei um jogo acabar debaixo de muito sol, sentado no campinho quase sem grama vendo um monte de perna de pau jogar e esperando meu jogo. Quando começou já era meio dia e meio, sem almoço, sem nada.

O primeiro tempo terminou 5x1 pra gente. O segundo tempo terminou 7x5 pra eles. Apanhamos. Saí todo ralado. O Ramon torceu o pé. Fiquei muito irritado e tive que me contentar com as explicações táticas pra derrota. Acho que não foi culpa minha.

E depois o Kellyson teve que aguentar nossa explicações (minha e do Ramon). O Kellyson é nosso goleiro às segundas, quartas e sextas no campo do Ridioni. Ele deve estar se perguntando: "Se os dois jogaram tão bem, como perderam?". Vamos deixá-lo meditar.

Amanhã, se São Pedro deixar, mais futebol vai rolar.

Mas quer saber... ADOGOOOOOOO!

(foto tirada de http://vozdoseven.blogs.sapo.pt/336198.html)

7 comentários:

Danilo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

meu nome apareceu ali! mais infelizmente nao foi citado minha abilidades como goleiro!
na proxima eu quero, hehe.
a e sem chuva amanha (yn).

Danilo disse...

Valeu Kellyson! Vai ter uma postagem só pra você aqui no blog.

Danilo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
This Gomez disse...

Hehehe, adorei o texto, embora eu seja mais apaixonada por vôlei =D

E a figura caiu bem no contexto. PArabéns de novo, amigo!

Essa praga do Ridioni foi coisa séria, hein? Credo! É bom morrer amigo dele!

Danilo disse...

É verdade This... meu amigo pra sempre esse Ridioni!

Aline disse...

Bem sou católica, mas não tenho um santo..como diria minha tia..que eu faça um pedido ou que reze só a ele...Porém a partir dessa postagem irei começar a rezar em esecial para São Pedro... Pq o Dan sem jogar bola é muito chato mesmo....kkkk
E o maior problema de tdo isso ainda que....adoro ele mesmo ....assim kkkk